Sobre este blog

Amigo leitor, junto com uns amigos criamos um blog para auxiliar professores, acabei me apaixonando e tornando-me um "blogueiro".

Decidi então criar este espaço com o objetivo de emitir meu ponto de vista sobre Teologia, Política, Pedagogia, concursos, atualidades e, especialmente, postar meu caderno de estudos em Direito, só que mais organizado do que o manuscrito (risos)! Bem-vindos!

5 Razões do Avivamento no Brasil segundo Samuel Hedlund


Acabei de lei o livro “Despertamento Apostólico no Brasil” (Rio de Janeiro: CPAD, 2009), livro belíssimo que me levou às lágrimas e desenvolveu um sentimento de pequenez em relação à preciosa obra que nosso pais desenvolveram no Brasil.

O livro deve ser lido de capa a capa, todavia me chamou a atenção o próprio Missionário Samuel Hedlund relatando as razões do despertamento que ele viveu enquanto esteve em nossas terras. Transcrevê-las-ei:

Quais as razões deste maravilhoso despertamento no Brasil?
[...]
1. Uma das principais é que este movimento tem sido dirigido por caminhos bíblicos, de forma que se compreende a vontade de Deus com a sua Igreja. Também a direção do Espírito Santo e sua liberdade está como número um no programa, juntamente com uma absoluta obediência à palavra de Deus, segundo a luz que temos.
2. Outra razão é que os novos convertidos buscam e recebem o batismo com o Espírito Santo, confirmado com o dom de línguas, o verdadeiro pentecostes. Creio que se quisermos ter um despertamento contínuo é necessário cumprir com estas duas coisas: os crentes têm de ser batizados com o Espírito Santo e as almas têm de ser salvas. Cada crente que é batizado com o Espírito Santo traz a igreja uma nova medida de poder. É um novo canal para as bençãos de Deus. Tenho notada que nas igrejas onde ninguém recebe o seu pentecostes, também é difícil produzirem um despertamento para fora.
3. Uma terceira razão é certamente o enorme zelo pela salvação de almas que os crentes têm depois de salvos. Quando uma pessoa ou família se muda para o interior, é regra infalível receber-se uma carta com notícias de salvação de almas, e um pedido para que alguém vá para batizá-las. Quando convidamos os pecadores nos cultos para aceitarem Jesus, entre cinco ou dez pessoas que vêm a frente, sempre há alguns que, se lhes perguntamos se já são salvos, dizem: “Sim, graças a Deus, pois aquele irmão ou irmã já orou por mim em casa”. Não se espera tanto dos pregadores no Brasil como na Suécia, pois os membros trabalham e sentem a responsabilidade de ganhas almas e, por essa razão, a obra cresce depressa.
4. Outra razão que coopera para o progresso da obra é que os dons do Espírito Santo operam tanto na vida particular como nos cultos públicos. Esta revelação direta dos dons é de suma importância para a obra de Deus. Ele tem dado os dons para que sejam úteis, não somente em particular, mas também publicamente. [...]
Quando chegamos num local ou numa casa para fazer reunião o culto já começou, já se ouve de longe os irmãos cantando e louvando a Deus. E os que vêm vindo começar também a cantar, e assim esperam a chegada do pregador. Acontece também que se ouve o barulho de oração ao chegar, pois já toda multidão está de joelhos louvando a Deus. Se a gente chegar cansado e esgotado ao culto, sente logo o poder e cria novo ânimo. Também acontece que, ao chegar no culto, alguém diz: “Alguém quer se entregar para Jesus de uma vez”, ou “Uma pessoa doente quer unção e oração para ser curada?”. Temos então liberdade para orar e ungir, mesmo antes de começar o culto. [...]
5. Outro motivo do despertamento é a vida de oração que tem grande lugar no trabalho. Há costume em todo o Brasil de fazer a última semana de cada mês, a semana de oração. E muitos são batizados com o Espírito Santo nessas semanas de oração. Começamos às 7 da noite e seguimos até a meia-noite e ninguém vai para casa sem que haja algum resultado na oração. Fazemos também dias de oração e semanas extras de oração. Há um grande poder nisso. Glória a Deus! (2009, pp. 101 - 103)[original sem negritos e sem tópicos].

Pena que esse era o retrato da igreja pentecostal brasileira do final da década de vinte. Quanta diferença! Senhor, "renova nossos dias como dantes"!

DIVULGAÇÕES

Tradução

Passaram por aqui

Sobre mim

Facebook

Velocidade da sua conexão

Amigos

Postagens populares

Pesquisar...